Pensões de sobrevivência no século XIX: uso de princípios do Cálculo Actuarial, por Daniel Augusto da Silva

A assistência proporcionada pelos montepios de sobrevivência portugueses, na forma de pensões a favor dos herdeiros dos seus sócios, após falecerem, assumia, no século XIX, importância inegável do ponto de vista da previdência social, numa época em que o Estado não cumpria essa função. A fundamentação científica dos planos de pensões era essencial para garantir a prosperidade dessas associações de socorros mútuos e os contributos do matemático Daniel da Silva, na década de 1860, constituem novidade nesse campo.


Para ver o artigo na íntegra, por favor efectue login.
Gazeta nº 195, pág. nº 29 | Categoria: Histórias da Matemática | Palavras-Chave: pensões, actuariado, atuariado, beneficiário, socorros mútuos, tábuas de mortalidade,
Autor(es): Ana Patrícia Martins |