Cem Biliões de Poemas

A primeira crónica desta rubrica foi dedicada ao grupo literário OuLiPo (Ouvroir de Littérature Potentielle), criado em França em 1960, e que se dedicava a explorar a relação entre matemática e criação literária. Hoje volto a ele para falar de uma obra de Raymond Queneau, membro do dito grupo.


Para ver o artigo na íntegra, por favor efectue login.
Gazeta nº 189, pág. nº 35 | Categoria: Matemática e Literatura | Palavras-Chave: poeta, poemas
Autor(es): Nuno Camarneiro |